Equipamento opera em banda de frequência entre 20 hertz e 20 kilohertz e entre 50 e 140 decibéis em uma única faixa

Investimento em P&D agrega valor ao produto e amplia faturamento da empresa

13 de dezembro de 2016

A Incon Eletrônica se prepara para iniciar a fabricação dos primeiros dosímetros acústicos para medir a intensidade de ruídos em ambiente de trabalho. A tecnologia, segundo a empresa, não tem concorrente nacional e o preço será competitivo com os similares importados.

Desenvolvido com recursos do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) da FAPESP, o produto será fabricado em escala comercial com apoio do Programa PIPE/PAPPE Subvenção, uma parceiria da Fundação e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

O interesse dos mercados de saúde ocupacional e do trabalho faz com que Paulo César Giglio, proprietário da Incon, projete um aumento de 40% no faturamento anual, tão logo o produto entre em linha de produção.

A Incon foi criada há 29 anos. Cresceu no Centro de Desenvolvimento de Indústrias Nascentes de São Carlos (Cdim), habilitada pelo projeto de um equipamento de monitoramento de perda de energia em redes de vapor, e emancipou-se como empresa de automação industrial.

Em 1999, obteve recursos do PIPE – então recentemente lançado pela FAPESP – para desenvolver sistema de controle das centrais climatizadas onde estavam instalados equipamentos de telefonia celular. “O sistema enviava dados por linha telefônica, permitindo o monitoramento dos equipamentos e o acompanhamento remoto”, conta Giglio. “Vendemos mais de 2 mil sistemas, capacitamos a equipe e em 2006 pudemos instalar a empresa em prédio próprio.”

Em 2011, a Incon ingressou no mercado de saúde ocupacional com o desenvolvimento de um termômetro para medir o estresse térmico do ambiente de trabalho. O produto rapidamente passou a representar 30% do seu faturamento e ainda abriu para a Incon o mercado externo. “Decidimos então dar um passo tecnológico e direcionar a empresa para atender esse nicho de mercado”, afirmou Giglio. “Isso significou abandonar a estratégia de produzir em quantidade e a baixo custo para apostar em produtos com mais valor agregado, o que demanda pesquisa e desenvolvimento (P&D).”

A empresa, atualmente, conta com 11 empregados, três deles engenheiros dedicados à atividade de P&D de novos produtos. Um projeto inovador, como o do dosímetro acústico, por exemplo, demanda alto investimento e equipamentos de ponta, além de envolver riscos. “Isso sem falar que a amortização desse tipo de investimento leva tempo. Decidimos então submeter um projeto à FAPESP”, diz Giglio.

O projeto tem como pesquisador responsável Clovis Isberto Biscegli, que trabalhou por mais de 20 anos na Embrapa Instrumentação, em São Carlos. “O equipamento opera em banda de frequência – entre 20 hertz e 20 kilohertz – e decibéis – entre 50 e 140 – numa única faixa”, ele descreve. O equipamento já está certificado pela Rede Brasileira de Certificação credenciada pelo Inmetro.

“O principal desafio tecnológico foi fazer todo o equipamento digital”, conta Biscegli. A informação registrada no aparelho é capturada por um software que gera um gráfico de ruídos. Pela norma brasileira, são considerados prejudiciais à saúde quando acima de 80 decibéis.

“Os nossos clientes são indústrias, o Estado e o juiz do Trabalho que contrata peritos para avaliar o ambiente em que o trabalhador desenvolve sua atividade”, afirma Biscegli. “Trata-se de um mercado grande, porque o Brasil tem uma boa legislação trabalhista no que tange à segurança”, ele sublinha. 

Empresa: Incon Eletrônica
Site: www.incon.com.br
Endereço: Rua Alfeo Ambrogi, 735, Jardim Mercedes - CEP 13570-540 - São Carlos - SP
Telefone: (16) 3363-4100 
Contato: incon@incon.com.br