Governo federal lança programa Centelha para estimular a inovação e o empreendedorismo

04 de dezembro de 2018

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) lançou o programa Centelha, voltado à criação de empreendimentos inovadores em todo o país. O programa conta com a participação do MCTIC, da Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap) e da Fundação CERTI.

O programa Centelha será executado de forma descentralizada, por meio da articulação institucional e cooperação com órgãos e entidades da administração pública estadual que atuam na área de ciência, tecnologia e inovação, com o apoio técnico e financeiro do MCTIC e das agências federais de fomento.

Do total de 21 projetos aprovados preliminarmente pela Finep na seleção de propostas, 19 são provenientes das Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs) dos estados. No total, a previsão é que sejam investidos R$ 34 milhões, sendo R$ 21 milhões pela Finep e R$ 13 milhões pelos parceiros nos estados.

Os principais benefícios a serem oferecidos pelo programa são capacitações, recursos financeiros e suporte para ajudar empreendedores a transformar suas ideias em negócios de sucesso. O Centelha irá oferecer mais de R$ 40 mil por empresa contemplada em subvenção da Finep e de seus respectivos parceiros estaduais para ajudar os novos empreendedores a tirar seus negócios do papel.

O programa visa também contribuir para a ampliação da quantidade e melhoria da qualidade das propostas de empreendimentos de base tecnológica submetidas aos ambientes promotores de inovação existentes no país, tais como incubadoras, aceleradoras de empresas, espaços de coworking, laboratórios abertos de prototipagem, parques e polos tecnológicos.

O período de inscrições para empreendedores interessados deve acontecer ainda no primeiro semestre de 2019. Enquanto isso, o programa já oferece informações para a comunidade empreendedora por meio do Facebook, Instagram, LinkedIn e Twitter e também dá dicas para que os empreendedores cheguem com suas ideias mais preparadas no lançamento do edital.